Básanos

Básanos é uma pedra de toque utilizada desde a antiguidade e pelos gregos, escura, feita de basalto ou outros materiais, para testar o valor de metais preciosos como o ouro. Sócrates, no Górgias, compara o valor de uma alma posta à prova por outras pessoas com o de um metal posto à prova por uma pedra de toque, sendo aquele que realmente põe à prova o detentor de qualidades que correspondam às qualidades nobres testadas:

Se acaso eu tivesse a alma áurea, Cálicles, não julgas que eu seria afortunado caso encontrasse uma daquelas pedras, a melhor delas, com a qual se verifica o ouro e a cujo teste estaria eu pronto para submeter a minha alma? Se essa pedra me con­ sentisse que minha alma fora bem criada, não julgas que eu saberia seguramente que ela me é suficiente, e que não careço de outra pedra de toque [βασάνου]?1.

O termo terá longa história, pois básanos se traduz no latim como tormentum e se vincula a instrumentos de tortura, punição e expiação dos atos, e basanizō também se traduz como torturar, testar, colocar sob teste ou sob a pedra de toque, vertido também como probatio e temptatio.

Em diversos textos Michel Foucault utiliza essas aproximações. Já em História da Loucura, capítulo Médicos e Doentes, ele mostrava como os procedimentos de confissão psicológica criados por figuras como Leuret (como a ducha) possuíam história anterior, ligada a práticas fisiológicas (como a de esfriar os humores) da “época clássica” (séculos XVII-XVIII). Essas análises são explicitadas em textos como A loucura e a água.

Em outros textos, tais como A Verdade e as Formas Jurídicas e os primeiros cursos no Collège de France, Foucault também mostrará procedimentos de prova – épreuve – semelhantes, utilizados tanto em práticas de inquérito quanto de exame. E em cursos mais tardios, como O governo de si e dos outros, ele recuperará a noção de básanos para ilustrar os procedimentos do parreasiasta e o vínculo entre mestre e discípulo (ex.: aula de 9 de março de 1983).



Citar este post
Marcio L. M. (2024, 6 Março). Básanos. áskēsis. Recuperado em 20 de Maio de 2024, de https://doi.org/10.58079/vyqr

  1. PLATÃO. Górgias. SP: Editora Perspectiva, 2011, p. 312-313, 486d []

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Pesquisar OpenEdition Search

Você sera redirecionado para OpenEdition Search