Uma breve passagem de Lacan

Um trecho de Função e Campo da Fala (Escritos, p. 240) o diz (colocamos a passagem original ao lado, Écrits, p. 239):

Mais n’ont-elles [les formes initiatiques et puissament organisées où Freud a vu la garantie de la transmission de sa doctrine] pas mené à un formalisme décevant qui décourage l’initiative en pénalisant le risque, et qui fait du règne de l’opinion des doctes le principe d’une prudence docile où l’authenticité de la recherche s’émousse avant de se tarir?
L’extrême complexité des notions mises en jeu en notre domaine fait que nulle part ailleurs un esprit, à exposer son jugement, ne court plus totalement le risque de découvrir sa mesure.
Mais ceci devrait comporter la conséquence de faire notre propos premier, sinon unique, de l’affranchissement des thèses par l’élucidation des principes.
La sélection sévère qui s’impose, en effet, ne saurait être remise aux ajournements indéfinis d’une cooptation vétilleuse, mais à la fécondité de la production concrète et à l’é preuve dialectique de soutenances contradictoires.

Mas, não terão elas [as formas iniciáticas e poderosamente organizadas em que Freud viu a garantia da transmissão de sua doutrina] levado a um formalismo enganador, que desencoraja a iniciativa ao penalizar o risco, e que faz do reino da opinião dos doutos o princípio de uma prudência dócil onde a autenticidade da pesquisa se embota antes de se esgotar?
A extrema complexidade das noções empregadas em nosso campo faz com que em nenhum outro lugar um espírito, ao expor seu julgamento, corra mais totalmente o risco de descobrir sua medida.
Mas, isso deveria trazer a consequência de transformar em nosso propósito primordial, senão único, o franqueamento das teses pela elucidação dos princípios.
A severa seleção que se impõe, com efeito, não poderia ficar a cargo dos adiamentos indefinidos de uma cooptação minudente, mas da fecundidade da produção concreta e à prova dialética de argumentações contraditórias.

Perguntamos se a tradução poderia ser algo como:

Mais n’ont-elles [les formes initiatiques et puissament organisées où Freud a vu la garantie de la transmission de sa doctrine] pas mené à un formalisme décevant qui décourage l’initiative en pénalisant le risque, et qui fait du règne de l’opinion des doctes le principe d’une prudence docile où l’authenticité de la recherche s’émousse avant de se tarir?
L’extrême complexité des notions mises en jeu en notre domaine fait que nulle part ailleurs un esprit, à exposer son jugement, ne court plus totalement le risque de découvrir sa mesure.
Mais ceci devrait comporter la conséquence de faire notre propos premier, sinon unique, de l’affranchissement des thèses par l’élucidation des principes.
La sélection sévère qui s’impose, en effet, ne saurait être remise aux ajournements indéfinis d’une cooptation vétilleuse, mais à la fécondité de la production concrète et à l’é preuve dialectique de soutenances contradictoires.

Mas não levaram elas [as formas iniciaticas e poderosamente organizadas nas quais Freud viu a garantia da transmissão de sua doutrina] a um formalismo decepcionante, que desencoraja a iniciativa penalizando o risco, e que faz do reino da opinião dos doutos o princípio de uma prudência dócil na qual a autenticidade da pesquisa se embota antes de se secar?
A extrema complexidade das noções postas em jogo em nosso domínio faz com que em nenhuma outra parte um espírito, ao expor seu julgamento, corra mais totalmente o risco de descobrir sua medida [da complexidade].
Mas isso deveria trazer a consequência de fazer com que nosso propósito primeiro, senão único, seja a emancipação das teses pela elucidação de seus princípios.
A seleção severa que se impõe não poderia, com efeito, ficar a cargo das protelações indefinidas de uma cooptação mesquinha, mas da fecundidade da produção concreta e da prova dialética de argumentações contraditórias.

A primeira tradução escolhe verter formalisme décevant por “formalismo enganador”. Mas em jogo está a idéia de que os esforços do pesquisador são desanimados, calados, até penalizados porque desencorajados – decepcionados para décevant -, fazendo com que toda a “autenticidade da pesquisa” se esvaia, e por isso embote antes de secar, extinguir, esvair-se: esgotar no sentido de não mais vicejar, como a fonte d’água que míngua até secar – s’émousser avant de se tarir.

A segunda passagem é ambígua: “descobrir sua medida” se refere a “espírito” ou “complexidade”? É a complexidade: a “extrema complexidade” das noções da psicanálise faz com que em nenhuma parte os espíritos corram tantos riscos ao tentar expor sua “medida”. Afinal, não bastando essa complexidade, os parágrafos anteriores já aludiam aos riscos aos quais qualquer candidato a psicanalista se expõe devido ao “formalismo decepcionante” ao qual é submetido. Mais ainda, o risco é maior pela “complexidade” das noções.

Disso, o “propósito primeiro, senão único” do psicanalista, deveria ser relativo à l’affranchissement des thèses par l’élucidation des principes. Affranchissement é primeiramente traduzido por franqueamento, que significa passar além, transpor. Mas affranchissement é o que diz respeito a alforria, emancipação, liberação. Affranchir une thèse parece significar aqui liberá-la de fatores como o do formalisme décevant anunciado no parágrafo passado: liberação das teses para a elucidação dos princípios, contra o “formalismo decepcionante” que impede de ver a complexidade das noções.

Disso, o que está em jogo sob tal affranchissement impede que se continue em ajournements indéfinis d’une cooptation vétilleuse. A primeira tradução sugere “adiamentos indefinidos de uma cooptação minudente”, o que parece truncado. “Minudente” significa pequeno, minucioso, pormenorizado, detalhado. E “adiamentos indefinidos” faz o leitor perguntar sobre a que eles se referem. O que parece estar em jogo é que esses que levam ao formalismo decepcionante e a todos os outros ritos que minorizam a pesquisa e desencorajam o pesquisador também impõem esquemas de protelações e cooptações, sob os quais vige algo de mesquinho. Por isso “minudente” para vétilleux não parece traduzir tudo. Aquele que é vétilleux é “pequeno” e se atém aos mínimos detalhes, mas o contexto refere-se a detalhes não no sentido do rigor e da “pesquisa”, e sim no sentido daquele que se atém a coisas pequenas, à mesquinharia. A oposição é clara: há aqueles que são mesquinhos, presos a coisas pequenas e formalismos decepcionantes; mas há os outros, os que são afins à “fecundidade da produção concreta” e a “prova dialética”.

E la nave va.



Citar este post
Marcio L. M. (2023, 18 Abril). Uma breve passagem de Lacan. áskēsis. Recuperado em 20 de Maio de 2024, de https://doi.org/10.58079/d1mj

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Pesquisar OpenEdition Search

Você sera redirecionado para OpenEdition Search