Subjetividade em Foucault

Um dos módulos do projeto de extensão Gaia Nefelibata – Filosofia em território virtual (projeto que vincula questões filosóficas durante o período da Pandemia, ligado ao grupo de pesquisa Subjetividade no Pensamento Contemporâneo – CNPQ) tem o título acima e é coordenado pelos profs. Giovana Temple (UFRB), Malcom Guimarães Rodrigues (UEFS) E Marcio Miotto (UFF). Trata-se, de apresentar ao público brasileiro considerações sobre a subjetividade nos diferentes momentos da trajetória filosófica de Foucault.

Os vídeos distribuem-se nas temáticas abaixo:

O “sujeito” nos escritos “arqueológicos”

Neste vídeo, o professor Marcio Luiz Miotto (UFF) apresenta o tema da subjetividade em Foucault, apontando esta como uma problemática central no pensamento do filósofo francês. Lançando mão dos escritos “arqueológicos” sob foco em História da Loucura, Miotto mostra como a subjetividade moderna foi tecida a partir de um expurgo constante das figuras da desrazão, vista como potencial ameaça à ideia de uma subjetividade racional e autônoma.

O “sujeito” nos escritos “genealógicos”

Neste vídeo, a professora Giovana Carmo Temple (UFRB) trata da questão da subjetividade no segundo período da escrita de Foucault, mostrando a intersecção entre a temática do poder disciplinar e da biopolítica com a formação de indivíduos dóceis e disciplinados.

O “sujeito” nos escritos dos anos 1970-80

Neste vídeo, o professor Malcom Guimarães Rodrigues (UEFS) explora as questões da subjetividade, da verdade e do governo no terceiro período dos escritos de Michel Foucault.

“Desdobramentos” sobre a questão do sujeito

Neste vídeo, os professores Marcio Luiz Miotto (UFF) e Giovana Carmo Temple (UFRB) exploram desdobramentos possíveis da questão do sujeito em Michel Foucault. Para tanto, o professor Marcio pensa a questão do sujeito a partir dos textos de Foucault dos anos 1950, ligados à Psicologia, e de novos arquivos mais recentemente disponibilizados na França, tais como as notas de curso de Jacques Lagrange disponibilizadas no IMEC ou novos materiais disponibilizados na BNF, enquanto a professora Giovana tece algumas aproximações entre o pensamento de Foucault e o do filósofo Paul Preciado, buscando mostrar a importância do primeiro na concepção de uma era farmacopornográfica, tal como proposta por Preciado.


Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Pesquisar OpenEdition Search

Você sera redirecionado para OpenEdition Search