Gustav Fechner e a “selva brasileira”

Em 1861 Gustav Fechner, o criador da Psicofísica, mencionou a “selva brasileira” como um imenso conjunto de “almas”, não apenas animais mas também de plantas. As pequenas questões – por exemplo, se as plantas possuiriam uma alma – repercutiriam nas questões maiores, sobre o que é o mundo ou se haveria até um além-mundo.

O tempo era – dentre outras coisas – de olhar o mundo e perguntar sobre seus fundamentos, e também de pensar sobre uma floresta insondável como uma imensa alma.

A fé na alma das plantas não parece significar muito. Que importa se alguém acredita ou não? Isso me foi jogado na cara e me disseram que me esforcei muito por algo cujo esforço não vale a pena.
Mas a fé na alma das plantas é apenas uma pequena prova da fé em coisas que não se pode mostrar de forma exata; não apenas uma pequena prova, pois o que há de menor e de maior está relacionado em toda essa questão (…)
Dado que sobre a alma das plantas se trata apenas de algo pequeno – ao menos relativamente, já que no fundo uma selva brasileira cheia de almas não é algo pequeno -, poderia-se terminar com isso também de uma forma relativamente simples e rápida. Mas não com as questões maiores e superiores da fé (…)

Gustav Fechner (Über die Seelenfrage, cap. 7)

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Pesquisar OpenEdition Search

Você sera redirecionado para OpenEdition Search